CampanhasÚltimas Matérias

Paciente de Mutirão realizado na Rede Mater Dei retorna para dar continuidade ao tratamento

Miguel, com os pais Carmenluce e Mário, que têm acompanhado de perto o tratamento e os procedimentos realizados na criança. Crédito: Rede Mater Dei

Em 2019, a Rede Mater Dei realizou, em parceria com a Faculdade de Odontologia da UFMG e a Prefeitura de Belo Horizonte, o Mutirão de Reparação de Lábio Leporino, com oferta de cirurgias gratuitas para a reparação desta má formação. Foram selecionados pacientes de diversas partes do Estado que não são assistidos por outros serviços. Dando continuidade a esta ação, o pequeno Miguel, de um ano, passou por mais um procedimento, dessa vez para reparação do palato. No Mutirão haviam sido realizados apenas os procedimentos de reparação no lábio e nariz.

Para preservar a qualidade de vida do paciente com lábio leporino é necessário que o diagnóstico seja feito o mais cedo possível, para que possa iniciar o tratamento adequado, de acordo com o nível da malformação. “A necessidade de intervenção cirúrgica dependerá do acometimento da fissura (lábio, gengiva e palato) e da extensão dessa (completa ou incompleta, unilateral ou bilateral). Com o crescimento facial, cirurgias para melhoria da oclusão dentária, função respiratória e estética nasal podem ser necessárias”, relata o cirurgião plástico Bruno Meilman.

Segundo explica, a fissura labiopalatina é uma malformação congênita, que acomete uma a cada 650 crianças, podendo atingir somente o lábio ou o palato e, em alguns casos, os dois. A deformidade ocorre durante o desenvolvimento do bebê, no primeiro trimestre de gestação. As principais causas são algumas síndromes genéticas e fatores ambientais. 

O tratamento de casos de fissura labiopalatina é multidisciplinar. “O processo de reabilitação é longo e compreende etapas de acordo com idade e crescimento. Cirurgia plástica, fonoaudiologia e odontologia são especialidades consideradas o tripé básico da reabilitação”, destaca o médico. Em geral, acrescenta, a criança com fissura labiopalatina é submetida a cirurgia de lábio por volta dos 6 meses de idade, e a partir dos 3 meses, e o procedimento de fechamento do palato por volta dos 18 meses de idade. No entanto, outras cirurgias podem ser necessárias no futuro, sendo também fundamental o acompanhamento e intervenções da fonoaudiologia e odontologia para uma adequada reabilitação”.

Para os pais de Miguel, Carmenluce e Mário, que têm acompanhado de perto o tratamento e os procedimentos realizados na criança, a oportunidade de realizar os procedimentos foi imprescindível para mudar para melhor a vida do menino. “Com certeza as cirurgias foram muito importantes, porque nem todo mundo tem condições de pagar o tratamento. Então, o Mutirão foi muito bom. Agradecemos muito aos médicos e a todos os envolvidos. Nós, como pais, ficamos muito felizes por termos recebido essa benção!”

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo