Em FocoÚltimas Matérias

Dor na panturrilha durante caminhadas e exercícios: todo cuidado é pouco!

Quadros venosos e arteriais podem acometer pessoas fisicamente ativas e as sedentárias

Nas férias, com as viagens e os passeios, é comum as pessoas realizarem longas caminhadas e passarem mais tempo em pé, o que pode gerar um grande desconforto nos membros inferiores, como a panturrilha, acendendo, assim, um sinal do corpo em relação a outros problemas de saúde. O incômodo, de modo geral, pode ser o indício de muitas patologias, segundo a vice-secretária da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), Drª Ziliane Caetano Lopes Martins.

Conforme explica, a disfunção pode estar ligada a problemas vasculares ou não, ser consequência de alterações nas veias, nas artérias, nos nervos, no sistema osteomuscular ou na pele, bem como estar relacionada a infecções, como as erisipelas e celulites.  Tanto as pessoas que praticam atividades físicas regularmente, como as sedentárias e crianças, podem ser acometidas pelos sintomas. Portanto, aos primeiros sinais, ela orienta procurar um médico especialista.

“É importante ter conhecimento das várias causas de dor e da avaliação especializada, se necessário. Mas claro que a pessoa com mais idade terá mais exposição e mais causas a serem diferenciadas”, aponta a profissional.

Os quadros venosos, causados por insuficiência venosa ou varizes, têm como característica uma dor vespertina, como peso ou cansaço, que pioram com o calor e melhoram com repouso e com a elevação das pernas. Parte dos pacientes que apresentam esses fenômenos possuem varizes visíveis, ou seja, veias aparentes, dilatadas, tortuosas e azuladas nos membros inferiores.

Em casos de origem arterial, a doença pode ser causada por uma obstrução crônica das artérias. A dor se manifesta ao andar, traz sensação de queimação nas panturrilhas e que vai se intensificando. Com o repouso a dor tende a sumir, mas ao voltar a andar, retorna. Em casos mais avançados, os pés podem ficar frios, pálidos, azulados ou arroxeados, e com a sensação de formigamento.

Também são comuns as dores se manifestarem durante a prática de algum exercício físico, em forma de cãibra, lesões no músculo ou no tendão. Os alongamentos, antes e depois da atividade, e sem exageros, ajudam a evitar dores e maiores agravamentos.

Dicas – Durante as viagens, é importante se lembrar de movimentar os pés e as pernas.  “É muito comum nos esquecermos desse detalhe, principalmente pela dificuldade logística que pode haver. Mas é fundamental o movimento das pernas e pés para auxiliar o bombeamento muscular das panturrilhas e melhorar o retorno venoso”, afirma a médica.

Manter a hidratação e uma alimentação equilibrada, sem o consumo de gorduras, frituras e açúcares, traz mais qualidade de vida. Algumas orientações básicas são também importantes a serem observadas:

  • Aquecimento antes da prática de atividades físicas;
  • Alongamentos antes e após os exercícios físicos;
  • Realizar acompanhamento com um profissional habilitado;
  • Utilizar meias de compressão para aumentar o retorno venoso e diminuir dores e edemas nas pernas;
  • Evitar longos períodos sem se movimentar;
  • Sempre se hidratar e manter uma alimentação saudável.

Além dessas recomendações, a médica orienta novamente: “diante de qualquer manifestação e sintoma persistente buscar ajuda profissional para receber a prescrição de um tratamento adequado.

A SBACV – A Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) é uma associação sem fins lucrativos, que visa a defender os direitos de seus profissionais, médicos e residentes, especialistas em saúde vascular. Além disso, tem como objetivo incentivá-los à produção científica, aprofundando as pesquisas nas áreas de Angiologia, Cirurgia Vascular e Endovascular, Angiorradiologia e outras modalidades. A entidade trabalha com uma política alinhada aos valores da AMB (Associação Médica Brasileira) e do CFM (Conselho Federal de Medicina) a fim de conduzir a instituição de maneira ética, sempre valorizando as especialidades médicas em questão. Atualmente, conta com 23 associações regionais espalhadas por todo o Brasil.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo