Em FocoÚltimas Matérias

Especialista explica como a alimentação pode ajudar no controle à ansiedade: Por Danielle Cambuí Costa, Nutricionista do Vera Cruz Hospital/Campinas/SP

A nutricionista Danielle Cambuí Costa: “manter-se equilibrado e controlar a ansiedade pode ser um grande desafio”. Crédito: Matheus Campos

A nutrição é o ato de alimentar o equilíbrio do corpo e da mente e, neste tempo de pandemia, manter-se equilibrado e controlar a ansiedade pode ser um grande desafio. Alguns alimentos, porém, podem auxiliar nesta missão e promover a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar. Para que os alimentos tenham eficiência, é bom lembrar que a saúde intestinal também merece cuidados, pois no bom intestino há receptores dos nutrientes. Manter os exercícios físicos e uma boa qualidade de sono também são responsáveis pela saúde física e mental. Seguem algumas dicas que ajudarão nas escolhas dos alimentos que diminuem a ansiedade:

  • Probióticos: favorecem o aumento de disponibilidade de triptofano e da produção de serotonina. Encontrado no iogurte, leite fermentado e até comercializado em forma de pó;
  • Prebióticos: fibras encontradas em frutas, hortaliças, aveias e outros cereais;
  • Triptofano: é um aminoácido essencial, ou seja, obtido por meio da dieta, pois o nosso organismo não produz. Participa no processo de produção de serotonina. Os alimentos que contém triptofano são: ovos, leite, soja, cereais, batata inglesa, banana, cacau, peixes, nozes e frutos do mar;
  • Já os carboidratos aumentam a disponibilidade de serotonina e estimulam a passagem do triptofano pela barreira cerebral e podem ser encontrados em pães, beterraba, melancia, tapioca, arroz, batatas e mel;
  • Ômega 3: é uma gordura benéfica para o nosso organismo. Possui capacidade de atenuar as respostas inflamatórias do organismo por meio da redução da produção de citocinas pró-inflamatórias. Ele pode ser encontrado em: sardinha, atum, camarão, salmão, óleo de canola, linhaça e nozes;
  • Vitaminas B6, B9 e B12: essenciais para a produção do metabolismo da serotonina;
  • Fontes B6: Carnes vermelhas, fígado, leite, ovos e gérmen de trigo;
  • Fontes B9: vísceras, feijão, vegetais de folhas verdes, abóbora, batata inglesa, milho, maçã, queijo, ovo, leite, laranja, abacate;
  • Fontes de B12: carnes vermelhas e carnes brancas;
  • Magnésio: é um mineral essencial e participa do processo que converte o triptofano em serotonina. Fontes: vegetais escuros, carnes, peixes, leite, cacau e oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas);
  • Cacau tem triptofano e flavonoides. Participa do processo de produção da serotonina e combate os danos de estresse oxidativos da célula. Fonte: chocolates amargos;
  • Água: vale reforçar que uma boa hidratação é fundamental para o funcionamento do organismo. Então, lembre-se de tomar água.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo