CampanhasÚltimas Matérias

Agosto Azul: cresce a obesidade entre os homens

O Agosto Azul é um mês voltado para a conscientização sobre a saúde do homem. E isso é ainda mais importante depois de longos meses de pandemia, home office e alterações na rotina de todos. Em 2018, mais da metade dos homens brasileiros estavam acima do peso. Em 2020, segundo pesquisa da Vigie, os brasileiros atingiram o maior índice de obesidade dos últimos 13 anos.

Por trás dos números há uma explicação. Segundo a médica Andressa Bornschein, endocrinologista do Pilar Hospita/Curitiba/PR, há duas causas para o problema: má alimentação e pouco gasto de energia. “Hoje tudo é feito pensando no conforto e isso engloba realizar atividades com o menor esforço possível. O resultado é o que chamamos de economia sem sentido, pois nosso organismo não sabe deixar de estocar os excessos de energia em forma de gordura”.

A obesidade, explica, é um fator de risco bem estabelecido para as doenças cardiovasculares. O peso em excesso causa pressão alta, colesterol elevado, diabetes, infarto e derrame. Além disso, completa a Dra. Andressa, há as dores crônicas associadas à sobrecarga das articulações das pernas e a baixa autoestima.

Homens acima do peso podem confirmar a obesidade numa visita ao médico. Os profissionais analisam o IMC (Índice de Massa Corporal) e a circunferência abdominal. Confirmado o problema, a primeira atitude a tomar é procurar se conhecer, orienta a especialista. “Cada um tem um metabolismo diferente, reage de uma maneira específica a determinados exercícios e tem uma resposta diversa à ansiedade. A partir daí, o paciente deve seguir uma série de orientações, como fazer atividade física, voltar a ter uma rotina e fazer um planejamento alimentar/nutricional, com horários das refeições, qualidade dos alimentos e quantidades de calorias a serem consumidas de acordo com cada caso e, também, equilibrar-se emocionalmente. Esses são fatores muito importantes para combater a obesidade e os problemas de saúde que a acompanha se não for tratada adequadamente”, concluí a médica.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo