Medicina & Saúde JovemÚltimas Matérias

Boa formação e atualização profissional são fundamentais para o profissional da Odontologia

A cirurgiã-dentista Luiza Pastor: “com o tempo fui me encantando pelas transformações de vida que a Odontologia é capaz de proporcionar em uma pessoa”

 Quando vemos uma jovem cirurgiã dentista nos atender com todo profissionalismo, carinho e atenção, não imaginamos a história por que escolheu a profissão, os seus desafios, a sua rica formação. Em entrevista ao Portal Medicina e Saúde, a cirurgiã-dentista Luiza Pastor Nogueira fala de sua trajetória, a importância da atualização profissional, os problemas odontológicos que tem encontrado no seu consultório, os avanços da Odontologia, entre outros aspectos. Luiza é graduada em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais PUC Minas) e pós-graduanda em Prótese Dentária, Dentística e Capacitação em Fluxo Digital pela Faculdade São Leopoldo MANDIC.

Dra. Luiza, o que a levou a decidir pelo curso de Odontologia?

Sempre fui fascinada pelos sorrisos das pessoas e pelo o que eles representam. E com o tempo fui me encantando pelas transformações de vida que a Odontologia é capaz de proporcionar em uma pessoa.

Houve alguma influência nesta escolha?

Na verdade, sim. O meu pai, sendo Técnico em Prótese Dentária e estando na área, foi sem dúvidas a maior influência para a minha escolha. Todo cirurgião-dentista precisa de um bom protético para o sucesso do tratamento e pensar na possiblidade de tê-lo como meu braço direito na minha profissão foi um incentivo ainda maior. Essa parceria acrescentaria potencial e um diferencial na minha formação e, consequentemente, no poder de transformar a vida das pessoas, através da Odontologia.

Quais os principais desafios de um jovem cirurgião-dentista?

Conseguir um bom emprego que o permita praticar uma Odontologia de excelência. Infelizmente, a realidade de muitos cirurgiões-dentistas recém-formados são clínicas populares, que não oferecem recursos para um atendimento digno, as consultas são rápidas e não há materiais de boa qualidade disponíveis. Além disso, a remuneração é mais baixa, devido aos valores de convênios odontológicos. Dessa forma, o profissional acaba ficando refém dessas limitações logo no início de sua carreira. E, para aqueles que conseguem ingressar no mercado, já em um consultório particular, enfrentam o desafio da formação de uma clientela e de fidelizá-la.

O que destaca de sua formação? 

A realização de estágios em Odontologia em grandes instituições desde o início do curso, como Policia Militar, Instituto Mário Penna, Hospital João XXIII, Hospital Odilon Behrens e em centros de saúde me proporcionaram uma forte experiência de atendimentos clínicos. Somado ao fato de ter estagiado também no laboratório de prótese dentária de meu pai desde o primeiro período da graduação, agregando muito conhecimento sobre as etapas laboratoriais.

Quais os avanços da Odontologia que gostaria de destacar?

A modernização da Odontologia e a implementação do fluxo digital, como a tecnologia CAD/CAM e escaneamentos intraorais têm possibilitado um atendimento mais rápido e cômodo para os pacientes e profissionais. Além disso, acrescento o uso de materiais cada vez mais resistentes e estéticos para reabilitações protéticas. Outro avanço muito utilizado tem sido o uso de aparelhos ortodônticos invisíveis. Vale lembrar que agora também é possível realizar as cirurgias guiadas, que garantem maior precisão e uso de membranas de L-PRF que estimulam uma recuperação tecidual mais rápida.

Isto significa que o profissional deve estar sempre atualizado?

Com certeza. A odontologia está evoluindo muito rápido e isso acaba gerando maior competitividade entre os profissionais e a necessidade de acompanhar essas mudanças. A atualização de conhecimentos através de cursos, especializações, aperfeiçoamentos e congressos, é a ferramenta mais importante para o cirurgião-dentista que deseja se destacar, além de permitir um “networking” entre bons profissionais. Ter apenas o conhecimento adquirido pela graduação não é mais admissível no mercado de trabalho. Manter-se atualizado é uma cobrança das clínicas e dos próprios pacientes.

No seu consultório, quais os principais problemas odontológicos que mais atende?

Hoje, a grande maioria de problemas encontrados nos atendimentos estão voltados aos impactos na saúde oral causados pela COVID-19. O confinamento em casa e a mudança de rotina, aumentou os níveis de ansiedade e estresse, além de motivar as pessoas a negligenciar hábitos adequados de alimentação e higiene oral. Com isso, houve um aumento significativo na incidência de pacientes com disfunções temporomandibulares, bruxismo (apertamento, desgaste dental), cáries, doenças periodontais e até mesmo perdas dentárias.

As crianças estão sendo devidamente educadas no combate às cáries? Qual o papel dos pais nesse processo?

Os hábitos e conhecimento dos pais têm influência direta na saúde oral dos filhos. Crianças com maus hábitos alimentares e de higiene oral têm maior propensão a desenvolver doenças como a cárie e gengivite. Por isso, os pais devem escovar e/ou supervisionar a escovação de seus filhos, sendo essa dependente do quanto o controle motor da criança está desenvolvido de forma que ela escove sozinha e de maneira correta. A escola também tem papel fundamental na promoção da saúde bucal dos pequenos, mas muitas vezes isso não acontece. Faz-se necessário que as instituições destaquem, ainda nessa etapa de vida, o uso do fio dental e da escovação, através de ações educativas com odontopediatras, incentivando e demonstrando a higienização bucal depois das refeições.

Quais as suas dicas para prevenção de doenças odontológicas?

As medidas simples de autocuidado com a higiene oral, que aprendemos desde cedo, são de fato as mais eficazes para a prevenção de doenças. A escovação correta e frequente (três vezes ao dia), uso de fio dental (ao menos uma vez ao dia) e consultas periódicas com o cirurgião-dentista, sempre serão grandes aliados na saúde bucal.

Somente a título de curiosidade, além da indicação estética da toxina botulínica, usada de forma preventiva na eliminação de rugas da face e correção de sorrisos gengivais, ela também vem sendo utilizada nos consultórios odontológicos de forma terapêutica em pacientes bruxômanos. Essas aplicações são realizadas nos músculos hiperativos envolvidos nesse hábito parafuncional, causando um relaxamento dos mesmos, diminuindo a tensão e o apertamento dental, e, claro, melhorando a qualidade de vida de quem sofre com bruxismo! Além de questões funcionais, o bruxismo (habito de ranger ou apertar os dentes, durante o dia ou noite), causa dores na articulação temporomandibular, dores de cabeça, dores nos músculos da face, desgastes e sensibilidade nos dentes.

Serviço:

Dra. Luiza Pastor/ Cirurgiã dentista – Fone 31- 99828 -7231

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo