CampanhasÚltimas Matérias

Conscientização da Miastenia, doença neuromuscular que resulta em fraqueza extrema  

Dr. Eduardo Estephan: “A miastenia gravis atinge principalmente mulheres entre 20 e 30 anos”

A Miastenia é uma doença neuromuscular rara, caracterizada pela súbita interrupção da comunicação natural entre nervos e músculos, resultando em fraqueza extrema e falta de movimentos. Como ela afeta a parte do músculo que se conecta com o nervo, a doença dificulta e, muitas vezes, até impede que a pessoa execute movimentos do dia a dia de forma voluntária. 

Essa fraqueza pode acometer qualquer músculo, mas existem alguns grupos musculares que são frequentemente mais acometidos, como, braços, pernas e visão, e, consequentemente, queda das pálpebras e visão dupla, bem como os músculos da fala e da mastigação, o que pode levar a uma dificuldade na deglutição. Em casos graves, os músculos da respiração também podem ser atingidos, resultando em insuficiência respiratória.

Em virtude da gravidade da doença, 02 de junho foi instituído o Dia Mundial de Conscientização da Miastenia, doença que, de acordo com o Ministério da Saúde, varia de 1 a 9 por milhão de habitantes, e prevalência de 25 a 142 por milhão de habitantes.

Também segundo o Ministério da Saúde, 25% dos miastênicos apresentam somente os sintomas oculares, como ptose (pálpebra caída) e visão dupla. Os que têm sintomas mais leves e generalizados nos músculos oculares, nas pernas e braços correspondem a 35% dos casos. Os mesmos sintomas em graus moderados e graves, mas acompanhados de fraqueza nos músculos da região bulbar – que afetam a fala e a deglutição – representam 20% dos casos.

“A miastenia gravis atinge principalmente mulheres entre 20 e 34 anos. Acima de 60 anos, o diagnóstico é comum entre ambos os sexos”, enfatiza o neurologista Eduardo Estephan, médico neurologista especialista em doenças neuromusculares do Hospital das Clínicas/SP, do Hospital Santa Marcelina e diretor científico da Associação Brasileira de Miastenia (ABRAMI), informando ainda que entre os homens, a doença acomete mais aqueles entre 70 e 75 anos.

Outros detalhes importantes sobre a doença:

De acordo com dados epidemiológicos mundiais de distúrbios neuromusculares, a estimativa é 1,5 mil novos casos por ano de Miastenia Gravis no Brasil. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma doença é considerada rara quando atinge até 65 pessoas em cada 100 mil indivíduos. “Hoje temos mais de 6.000 doenças raras no mundo e nosso papel é trazer visibilidade à Miastenia Gravis, que, apesar de não ter cura, pode ser tratada e proporcionar qualidade de vida a seus portadores no Brasil”, destaca o neurologista Eduardo Estephan. Ele informa ainda que a Miastenia Gravis é uma doença autoimune que se manifesta porque o sistema imunológico ataca erroneamente a mesma junção do nervo com o músculo, que nasceu saudável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo