CampanhasÚltimas Matérias

Dia de Combate às Hepatites Virais terá testes gratuitos em Curitiba

Equipe médica do Instituto para Cuidado do Fígado, com importante atuação na capital paranaense

Em um ano em que muito tem se falado de prevenção e diagnósticos, vale lembrar que a Organização Mundial de Saúde adotou o dia 28 de julho como o Dia Mundial de Combate às Hepatites. Para conscientizar a população, há anos, nesta data, acontece uma ação especial do ICF – Instituto para Cuidado do Fígado, em parceria com a Secretaria de Saúde do Paraná, Sesc e ÉPICOS – Centro de Educação Profissional. Este ano, em Curitiba (PR), a ação acontece no Sesc da Esquina, nesta quinta-feira, dia 28 de julho, das 10h às 15h.

O objetivo, além de conscientizar a população, é realizar testes rápidos de hepatites B e C, para detecção e encaminhamento ao tratamento. No dia, serão disponibilizados 500 testes rápidos para hepatite B e outros 500 para a C, com resultados em apenas 30 minutos. Estima-se que mais de 2 bilhões de pessoas são infectadas e cerca de 1 milhão morrem todos os anos por causa das hepatites.

“As hepatites B e C podem causar, além da cirrose, o câncer de fígado. Cerca de 800 mil pessoas morrem de câncer de fígado por ano no mundo e se estima que 50% destas mortes poderiam ser prevenidas. É importante ressaltar que este cenário pode ser mudado, pois a hepatite B pode ser prevenida com a vacina e a hepatite C tem cura”, explica a médica voluntária do ICF, Dra. Cassia Sbrissia Silveira.

As duas formas mais comuns de hepatite crônica são a B e a C. Ambas podem levar à cirrose, falência do fígado, câncer de fígado e até à morte. A grande preocupação é que os pacientes não apresentam sintomas e, quando diagnosticados, já se encontram em situação avançada. Por isso essa “peneira” nas cidades e alerta são tão importantes, até porque dessa maneira o assunto está sempre na mídia, o que de certa forma é bom para alertar a população.

“Quando diagnosticadas no tempo adequado, as doenças sempre são tratadas de maneira mais leve, sem grandes intervenções. Na grande maioria se dá com medicamentos por via oral, de ótima tolerabilidade e resposta. Nos casos não diagnosticados de maneira precoce, o tratamento pode envolver cirurgia, procedimentos invasivos e até transplante de fígado”, explica Fábio Porto Silveira, um dos fundadores do ICF. Já a incidência da hepatite A vem decaindo em virtude das melhores condições sanitárias.

Algumas dicas para evitar a transmissão são: vacinação (para Hepatites A e B), sexo seguro e não compartilhar itens pessoais que possam conter sangue, como lâminas de barbear, alicates ou escovas de dente.

Sobre o Instituto para Cuidado do Fígado

O ICF está de portas abertas e há 12 anos atende gratuitamente pacientes com problemas hepáticos. Os médicos do ICF orientam desde o diagnóstico das doenças do fígado até o término do tratamento, seja ele tomando remédios ou realizando um transplante. O serviço é prestado pela equipe médica do Centro Digestivo e Transplante de Órgãos (CDTO) e o atendimento é feito no Edifício ASA, em Curitiba.

A equipe do ICF é formada pelos médicos Dr. Fabio Porto – cirurgião do aparelho digestivo (CRM PR 19570 – RQE 12890 /15223); Dr. Fabio Silveira – cirurgião do aparelho digestivo (CRM PR 20009 – RQE 193 / 15509 / 13560), Dra. Cassia Sbrissia Silveira – hepatologista (CRM PR 20765 – RQE 14626 / 15317 / 18516), Dra. Ana Sofia Montero – cirurgia geral (CRM PR 36369 – RQE 22829) e Dr. Henrique Higa – cirurgião do aparelho digestivo (CRM 29620 – RQE 18259 / 22027/ 22028). A equipe do ICF é responsável pelo serviço de transplantes hepáticos do Hospital do Rocio, em Campo Largo.

As doenças do fígado não são resumidas apenas na tão comentada cirrose. Essa é o estágio final das patologias hepáticas e não está relacionada somente ao consumo de álcool. Pode ser relacionada, por exemplo, à gordura no fígado (esteatose), infecções por vírus, agressões ao sistema imunológico (autoimunes), toxicidade por medicamentos, chás e ervas ou tumores. Mas, normalmente, as formas iniciais se apresentam com pouco ou nenhum sintoma, além de sutis alterações de exames laboratoriais de rotina.

Vale à pena lembrar que o Instituto é mantido por doações de pessoas físicas e jurídicas que se solidarizam com a causa. Para conhecer mais sobre o ICF acesse www.icfigado.org

Serviço:

Instituto para Cuidado do Fígado

Rua Voluntários da Pátria, 475, cj 905a – Edifício ASA

Curitiba – Paraná | Telefone: (41) 99813-0089 | www.icfigado.org

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo