Em FocoÚltimas Matérias

Fonoaudiólogo pode orientar a maneira correta da amamentação

Fonoaudióloga Talita Todeschini: “algumas condições patológicas podem dificultar a mamada do recém-nascido e o fonoaudiólogo pode orientar como ajustar a “pega” do bebê à mama, entre outras medidas importantes”.

O aleitamento materno é a primeira fonte de alimentação dos bebês. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), ele deve ser a fonte exclusiva de alimentação até os seis meses de idade. Ocorre que muitas mães não conseguem iniciar este processo de nutrição. Assim, buscar ajuda profissional adequada pode tornar a amamentação um ato saudável para ambos. Nesse sentido, a Fonoaudiologia exerce um papel fundamental para a orientação das mães. O fonoaudiólogo pode, entre outras ações, introduzir técnicas adequadas para ajustar a “pega” do bebê à mama. O estímulo à amamentação deve ser feito de forma consciente, já que é um dos primeiros aprendizados de sobrevivência do pequeno e exige muita dedicação da mãe e do bebê. Mas algumas condições patológicas podem dificultar a mamada do recém-nascido. Por isso, é importante que os pais conheçam quais são para que possam buscar ajuda e orientação para as medidas necessárias.

Teste da Linguinha – No Brasil, é obrigatória a realização do teste da linguinha, a partir do protocolo de avaliação do “frênulo da língua” dos bebês. A avaliação deve ser feita ainda nos hospitais e maternidades para identificar se ele tem a língua presa.

O bebê usa toda a musculatura da língua para mamar e se tiver alguma interferência patológica isso pode interferir muito, causar dor na mãe durante a amamentação, além de cansar a criança – que não vai ter uma sucção efetiva, ou seja, não vai se alimentar corretamente. As limitações desses movimentos podem comprometer as funções exercidas pela língua, como sugar, engolir, mastigar e falar. Então, ao identificar a patologia do frênulo lingual, a intervenção deve ser precoce para beneficiar o desenvolvimento do bebê.

“Se o frênulo lingual limitar o movimento muscular, a criança será incapaz de fazer toda a movimentação que precisa fazer se alimentar. Para entender se o bebê está preparado para a mamada é interessante, ainda dentro da maternidade, fazer o teste da linguinha”, explica a fonoaudióloga, Talita Todeschini/Florianópolis/SC, conselheira do Conselho Regional de Fonoaudiologia (CREFONO 3).

Avaliação de prematuros – A delicadeza do prematuro exige técnicas igualmente delicadas e que possam fazer o estímulo correto até que ele desenvolva a sucção.

O fonoaudiólogo é, também, parte da equipe multidisciplinar que avalia os bebês prematuros ainda na UTI neonatal, e que pode orientar sobre as alternativas para os bebês que apresentem dificuldade de deglutição.

Na maioria dos casos, os prematuros são alimentados por sondas até aprenderem a mamar e para que desenvolvam a habilidade nos músculos da língua, o fonoaudiólogo estimula com o dedo mínimo enluvado os movimentos da língua, facilitando a percepção do bebê e fazendo leve pressão no palato duro com a polpa do dedo, o que vai simular o movimento que ele vai desenvolver sozinho, chegando ao reflexo de sucção já na mama.

“Os prematuros não possuem o reflexo de sucção efetiva e o fonoaudiólogo pode auxiliar e preparar o bebê para que ele desenvolva esses reflexos que vão ajudá-lo a mamar e a deglutir, explica Talita , ao concluir: “esta estimulação deve ser feita o mais cedo possível, para que o recém-nascido consiga mamar no seio da mãe o quanto antes também”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo