CampanhasÚltimas Matérias

Fumar aumenta em 10 vezes o risco de câncer de laringe, doença 5 vezes mais comum nos homens

O câncer de laringe é o nono tipo de câncer mais comum entre os homens brasileiros e o segundo mais comum na região de Cabeça e Pescoço, ficando atrás apenas dos tumores de cavidade oral. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA) para 2022 são esperados 7.650 novos casos de câncer de laringe, sendo 6.470 em homens e 1.180 em mulheres, ou seja, a doença é 5,5 vezes mais comum no sexo masculino. Sua maior prevalência é em homens acima de 40 anos.

Localizada no pescoço, acima da abertura da traqueia, a laringe é o órgão onde estão as cordas vocais. Ela apresenta três partes: supraglote: logo acima das cordas vocais. Tem a função de enviar comida pelo esôfago (o tubo que se conecta ao estômago) e impedir que alimentos e líquidos entrem nos pulmões; glote: onde estão as cordas vocais, e a subglote:  localizada abaixo das cordas vocais.

A maioria dos casos de câncer de laringe se desenvolve na glote. E mais de 90% dos casos são do tipo carcinoma de células escamosas.

Os principais fatores que têm relação com o desenvolvimento do câncer de laringe são o tabagismo e o consumo de bebidas alcoólicas, especialmente a combinação dos dois. O oncologista clínico Thiago Bueno de Oliveira, presidente do Grupo Brasileiro de Câncer de Cabeça e Pescoço (GBCO), alerta que o fumo de qualquer produto (cigarro, cachimbo, charuto, narguilé, cigarro de palha, cigarro eletrônico), aumenta em 10 vezes a chance de desenvolver o câncer de laringe.

Outros fatores são:

  • Estresse e mau uso da voz
  • Excesso de gordura corporal
  • Exposição a alguns produtos químicos: óleo de corte, amianto, poeira de madeira, de couro, de cimento, de cereais, têxtil, formaldeído, sílica, fuligem de carvão, solventes orgânicos e agrotóxicos

SINAIS – Para chamar a atenção da população para o problema, o GBCP realiza, neste Julho Verde, a campanha “Sinais que podem mudar histórias”, com uma programação especial sobre prevenção, diagnóstico e tratamento dos diferentes tumores que acometem a região de cabeça e pescoço: cavidade oral (boca, lábios, língua, gengiva, assoalho da boca e palato), seios da face (maxilares, frontais, etmoidais e esfenoidais), faringe (nasofaringe (atrás da cavidade nasal), orofaringe (onde se encontra a amígdala e a base da língua) e hipofaringe (porção final da faringe, junto ao início do esôfago), além da laringe (supraglote, glote e subglote), glândulas salivares e glândula tireoide.

O conteúdo completo da campanha, disponível para download gratuito, está em http://www.gbcp.org.br/julhoverde2022/.

Os principais sintomas de câncer de laringe, que podem variar de acordo com a localização e estágio da doença, são:

  • Rouquidão ou alterações na voz;
  • Dificuldade para engolir alimentos ou sensação de algo preso na garganta;
  • Dor de garganta ou de ouvido persistentes;
  • Caroço no pescoço;
  • Tosse constante;
  • Problemas respiratórios;
  • Perda de peso sem motivos.

Os sintomas podem não ter relação com o câncer de laringe, mas é preciso estar atento e consultar um médico especialista para uma avaliação mais precisa.

Ao observar alguma alteração suspeita é importante o paciente buscar avaliação de um médico otorrinolaringologista ou cirurgião de cabeça e pescoço. Além do exame clínico, o médico pode solicitar a realização de uma laringoscopia, exame que pode ser feito no consultório, com a necessidade de coleta de fragmentos da lesão (biópsia), se for identificada suspeita para a confirmação ou não do câncer.

PREVENÇÃO – Cerca de 30% dos casos de câncer de laringe poderiam ser evitados com a adoção de algumas medidas.

  • Não fumar nenhum produto e evitar o tabagismo passivo
  • Evitar o consumo excessivo e constante de bebidas alcoólicas
  • Manter o peso corporal adequado
  • Cuidar da saúde da voz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo