Em FocoÚltimas Matérias

Pré-Natal psicológico e outras contribuições da Psicologia Perinatal

Por Eveline Massa Ribeiro, psicóloga formada há 15 anos pela UFMG e é pós-graduada em Psicologia Perinatal e da Parentalidade.

Quando se pensa em cuidados com a gestação, logo vem à mente o pré-natal físico no qual a gestante precisa se submeter. Ultrassom, alimentação saudável, exames de sangue são procedimentos fundamentais para acompanhar a saúde do bebê e da mãe. Mas além disso, é muito importante se atentar aos cuidados com a saúde mental materna. Já existem muitos estudos demonstrando que a prevalência de estresse, ansiedade e depressão, tanto durante a gestação, quanto no pós-parto é considerável, e quando não tratada pode gerar problemas na interação mãe-bebê.

A Psicologia Perinatal ou Psicologia Obstétrica, estuda e atua no chamado ciclo-gravídico-puerperal, que envolve desde o planejamento familiar, quando os pais decidem ou não em ter filhos, passando pela gestação, parto e pós-parto, e ainda o desenvolvimento do bebê.

O psicólogo perinatal é especializado em acompanhar esses fenômenos, orientando as famílias, sejam elas compostas biologicamente ou pela via da adoção.

Atende ainda os casos em que se faz necessário a Reprodução Assistida, quando se usa tecnologias para a concepção e evolução da gestação, como a Fecundação in Vitro, ovodoação, inseminação artificial e barriga substituta (barriga de aluguel).

Outro ponto abordado é a gestação de alto risco, que envolve atenção especial à saúde da mãe e do bebê, gerando maior expectativa para que todas as fases da gestação ocorram da melhor maneira possível. Isso acaba deixando os envolvidos mais tensos e o acompanhamento psicológico é muito válido.

O acompanhamento das famílias caso haja um nascimento prematuro, contribui para acolher as angústias, sobretudo pois em geral, há necessidade de internação em Unidades de Tratamento Intensivo Neonatal. Essa é uma experiência exaustiva para os pais e o próprio bebê.

Infelizmente, nesse ciclo pode ocorrer o luto perinatal, quando há perda por conta de aborto ou morte fetal. É um luto em que também é necessário o apoio da família e a ajuda profissional acolhe as demandas que os pais trazem.

Um serviço desenvolvido pelo psicólogo perinatal é o pré-natal psicológico. É um processo psicoeducativo no qual são tratadas questões da gestação, parto, pós-parto e cuidados com o bebê. Visa prevenir alterações negativas na saúde mental materna e na relação mãe-bebê. O pai e a rede de apoio (avós, tios, amigos) também são convidados a refletir sobre a chegada do novo membro e podem tirar suas dúvidas e avaliar seu papel nesse momento especial.

         O pré-natal psicológico pode ser realizado de forma individual ou em grupo. A vantagem do atendimento coletivo é a troca de experiências que ocorre durante as sessões. Existe a possibilidade de acontecer de modo presencial ou online. No online, são utilizadas as plataformas que ficaram tão conhecidas após a pandemia do COVID-19, e que acaba por beneficiar as gestantes, já que evita o deslocamento.

         A Psicologia Perinatal tem muito a contribuir também com os profissionais de saúde que atendem esse público. São conhecimentos que humanizam a atuação e capacitam para que se sintam apoiados com os desafios que surgem no acompanhamento da maternidade.

         Enfim, mesmo sendo um ramo relativamente recente da Psicologia, a Psicologia Perinatal tem a ver com o início de tudo. Cuidando de forma integral de cada ser humano desde sua chegada a esse mundo contribuindo para uma sociedade mais harmoniosa e justa.

      Para mais informações e contato, o perfil no instagram de Eveline Massa é: @psievemassa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo