AtualidadesÚltimas Matérias

Projeto “O que é, o que é: solidariedade” faz pesquisa qualitativa sobre o conceito solidariedade com crianças de todo o país

As menções positivas foram 89%; as negativas, 11%, remetendo à solidão

O que é, o que é faz parte de um estudo amplo promovido pela plataforma de Educação para Gentileza e Generosidade (EGG) para entender como as crianças brasileiras compreendem os conceitos de certas palavras como gentileza, generosidade, solidariedade, diversidade, sustentabilidade, respeito e cidadania para realizar soluções com metodologias e narrativas mais precisas para que estas palavras ganhem cada vez mais sentido prático junto às novas gerações, em casa e na escola. Nesta edição, com foco em solidariedade, participaram da pesquisa 73 crianças de 1 a 13 anos, em todas as regiões do país. Abaixo, os resultados dessa sondagem:

  “Ajudar” é o sinônimo mais recorrentesendo que 89% das crianças explicam solidariedade usando como significado de “ajudar”, com 49% das menções. Entre as demais palavras positivas, foram verbalizações como “bondade”, “fazer o bem”, “amar”, “carinho e cuidado”, “ser gentil”, “doar” e “ser feliz”. A palavra “ajudar” foi mencionada por 83% dos participantes, sendo que 67% são meninos e 75% que disseram “amor” e “carinho”, são meninas.

Nas menções positivas, ao invés de explicações ou sinônimos, 7% das respostas são relatos com situações nas quais as crianças identificam a solidariedade (dividir, valorizar, ensinar, preparar, construir, oferecer segurança).

A confusão negativa com “ser solitário” ocorreu com 11% das crianças, com maioria entre 6 a 9 anos, e 80% estudantes da rede privada de ensino. Eles têm uma percepção distorcida da palavra, confundindo “ser solidário” e “ser solitário”, por um possível equívoco sonoro.

O estudo já endereça recomendações para professores e familiares preocupados em desenvolver as competências sócioemocionais e sóciotransformacionais das crianças.

De acordo com a idealizadora da Plataforma de Educação para a Gentileza e Generosidade, Marina Pechlivanis, para que o conceito de solidariedade seja incorporado, deve ser apenas falado, senão, praticado, “é preciso verbalizar com mais frequência ‘solidariedade’ e exemplificar o que a palavra significa, para que adquira sentido junto às crianças; ser o exemplo para as crianças, na escola ou em casa, fazendo gestos de solidariedade”.

Para evitar associações negativas, por conta da similaridade fonética com a palavra “solitário”, poderiam ser feitas algumas atividades para evitar a confusão sonora e semântica entre as palavras, como “criar jogos de memória ou trava-línguas que possam gerar novos jargões; por exemplo: quem é solidário nunca fica solitário, e assim, reforçar a origem das palavras, demonstrando a diferença. Da mesma forma, identificar atos de solidariedade no dia a dia e em filmes, fazendo com que as crianças tenham exemplos reais”.

pesquisa de abordagem qualitativa foi realizada via questionário online, de setembro a dezembro de 2021, com uso da análise do discurso para captação dos sentidos produzidos nas narrativas. A proposta aos familiares responsáveis pelos participantes foi perguntar para as crianças: O que é solidariedade? e registrar o resultado, sem edições.

Sobre: O que é, o que é: solidariedade?

Faz parte de um estudo amplo promovido pela plataforma de Educação para Gentileza e Generosidade para entender como as crianças brasileiras compreendem conceitos integrantes de nossos sete princípios: gentileza, generosidade, solidariedade, diversidade e sustentabilidade, respeito e cidadania. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo