AtualidadesÚltimas Matérias

Casal brasileiro foi buscar bebê na Ucrânia:  conheça a experiência vivida por Priscila e João Paulo Bogucki, em plena guerra no país europeu

O casal Priscila e João Paulo Bogucki vive um momento muito especial em suas vidas. O filho deles, João Levi Rodrigues Bogucki, nasceu na Ucrânia, pelo processo de gestação de substituição, a chamada barriga de aluguel, em plena guerra que ocorre naquele país.

Priscila Rodrigues Bogucki tem 39 anos (administradora de empresas) e João Paulo tem 37 anos (engenheiro marítimo), vivem em Vitória/Espírito Santo.

O caminho que o casal percorreu até buscar um bebê na Ucrânia foi longo, explica João Paulo em entrevista ao Portal Medicina e Saúde. “Minha esposa engravidou naturalmente uma vez e perdeu o bebê com três meses. Após novas tentativas naturais sem sucesso, fomos em vários médicos e resolvemos fazer FIV em São Paulo. Foram quatro FIVs negativas. Minha esposa tem útero unicórno e, também, endometriose,” o que dificulta a possibilidade de ser mãe. Diante dessa realidade, o casal iniciou um processo de busca para realizar o sonho da paternidade.

No Brasil, lembra João Paulo, existe a barriga de substituição, porém, sem remuneração e por grau de parentesco até 3º. grau. Na Ucrânia, as leis nessa área são claras e modernas e os preços são atrativos.  “Assim, demos início a uma longa caminhada que culminou com o nascimento do nosso filho João Levi”.

João Paulo conta que até chegar esse momento precisou traçar uma logística e contar com o auxílio da embaixada brasileira na Ucrânia, que funciona em Lviv, de forma provisória, porém, com muita eficiência.

Priscila e João Paulo contaram também com o apoio de outros casais brasileiros que tiveram suas experiências e nos ajudaram a definir o rumo certo. “Fomos pelo percurso Viena/Áustria até Przemsyl/Polônia.  Depois, chegamos a Lviv, na Ucrânia.  Fomos de avião Rio/Viena, e de trem Viena/Przemsyl/ Lviv”, conta João Paulo.

O casal ficou hospedado em Livv, onde ocorreu o momento de grande emoção: colocar nos braços o filho João Levi. Devido a questões de segurança, o bebê foi entregue a eles por um intermediário.

Joao Levi nasceu no dia 19/03/22, mas o encontro se deu 12 dias depois (31/03). Em seguida, o casal foi passar alguns dias em Varsóvia/Polônia, para descanso, e, com João Levi ganhando peso e saudável, retornarem ao Brasil.

Como se sabe, a Guerra na Ucrânia traz transtornos sociais e financeiros para os países europeus que recebem refugiados. Porém, relata Bogucki, “em Lviv, na nossa passagem pela cidade, não vimos ataque por terra, mas, sim, mísseis cruzeiros que atingiram dois alvos, em datas não regulares. Observamos uma cidade vivendo normalmente, porém com soldados em exagero, muitas barricadas e excessivas revistas, com perguntas dos policiais e checagem de documentos”.

“Em Lviv existem sinais sonoros constantes para alertar as pessoas a se   abrigarem. Muitos locais possuem abrigos antibomba, incluindo o hotel em que nos hospedamos”.

Até encontrarem João Levi, Priscila e João Paulo Bogucki estavam ansiosos e assustados por causa da guerra na Ucrânia, mas a embaixada brasileira e a estratégia usada de ficar em Lviv foram essenciais para maior tranquilidade.

Entretanto, em meio a uma guerra brutal, a história tem final feliz para Priscila e João Paulo: “estamos muito felizes e aprendendo a cada dia como cuidar de uma criança recém-nascida, como tirar a secreção nasal e que os choros significam fome”.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo