EspeciaisÚltimas MatériasVeja também

Saúde alimentar: nutricionista fala sobre dieta equilibrada, dieta da moda e reeducação alimentar

A nutricionista Caroline Lameirinhas: “a melhor dieta é a reeducação alimentar personalizada. Não existe uma dieta da moda, dieta do tipo sanguíneo, dieta cetogênica, ou do jejum intermitente. Cada organismo é um, mesmo que sejam da mesma família”

Todos sabem que uma dieta equilibrada, aliada à atividade física, é o primeiro passo para se ter uma boa saúde. O excesso de carboidratos, gorduras e açúcares pode provocar uma descompensação no organismo gerando graves doenças, algumas delas silenciosas, como a diabetes.

Para saber mais sobre o assunto e como fazer uma dieta sem pressões, o Portal Medicina e Saúde conversou com a nutricionista Caroline Lameirinhas, especialista em Nutrição Clínica e Mestre em Bioética, com consultório em Belo Horizonte / Minas Gerais.


Dizem que o estômago é o nosso segundo cérebro. A senhora acredita nisto? Por que?

Não, o nosso segundo cérebro é o intestino. O cérebro tem uma ligação com o nosso intestino/cérebro, com a produção de serotonina, que é o nosso hormônio que controla o nosso humor. Então, quando a gente não cuida bem do nosso intestino, temos um prejuízo em cima da saúde dos nossos neurônios. 

É verdade que “a gente come com os olhos”?

A gente tem cinco sentidos. Não são só os olhos. Temos a visão, a audição, o tato, o olfato e o paladar. Então, tudo isso é sensorial. Cada um tem uma parte sensorial mais desenvolvida. Tem gente que tem que sentir o cheiro, tem gente que é o paladar, tem gente que a visão. Isto até na escola: tem gente que entende mais o professor quando fala, outras pessoas têm que ler para gravar. Quanto mais experiência você tem ligada àquele alimento, mais proporciona prazer. Mas temos que tomar cuidado porque o excesso de açúcar e gordura em qualquer refeição gera um prazer como se fosse uma droga, mesmo. Então, eleva aquele prazer rápido ao cérebro, a pessoa come com aquela falsa felicidade, que não dura por muito tempo. 

A senhora poderia explicar como funciona uma dieta e por que muita gente acha que vai passar fome ao fazer dieta?

Muita gente acha que vai passar fome por conta de dietas da moda. Infelizmente, hoje em dia, tem muita dieta da moda de retira de glúteo, de lactose, de frutas, sem necessidade alguma.

Uma reeducação alimentar é a organização da alimentação, comendo a cada 3 horas (tem a moda também, que muita gente tem cortado – o comer a cada 3 horas. Isto é muito importante). Então, o passar fome é porque a pessoa acha que não vai comer nada, só saladas, e isto é uma mentira. Numa reeducação alimentar, ela tem pães, ela tem queijos, tem frutas, tem arroz, tem feijão… Então, é uma reorganização dos nutrientes na quantidade certa e na hora certa. Tendo isso, pelo contrário, não passa a fome, diminui a compulsão alimentar e a pessoa ganha mais energia, maior disposição, melhora o sono, melhora tudo. A pessoa fica mais bem nutrida. Então só passa fome quem faz dieta da moda.

Toda dieta deve ser personalizada, ou há uma dieta padrão que pode ser seguida por várias pessoas?

Com certeza, cada corpo é único e não existe dieta da moda, dieta do tipo sanguíneo, dieta cetogênica, do jejum intermitente, que sirva para todo mundo, de forma alguma. Cada organismo é um, mesmo que sejam da mesma família. Tem gente que me procura querendo fazer, por exemplo, uma dieta para o casal. Não tem condição alguma. Um é homem, a outra é mulher, cada um tem o seu metabolismo, cada um está com o seu processo inflamatório, cada um tem uma resposta na saúde. Então, é sempre personalizada, é o que dá certo, é o que faz a pessoa perder gordura e não perder músculo.

Há uma faixa etária predominante, onde as pessoas se preocupam mais com deita e nutrição e por que?

Toda faixa se preocupa. Na verdade, a gente deveria se preocupar desde o nascimento porque quanto mais você forma bem as suas células, elas ficam bem nutridas, menos problemas no decorrer do seu envelhecimento com colesterol alto, com glicose alta, com problemas nutricionais. É uma preocupação que todos devemos ter. Eu tenho pacientes que têm esta preocupação desde a gestação, de nutrir esta criança dentro da barriga e depois do nascimento. Então, depende muito da cultura da pessoa. Quando é uma reeducação alimentar, todo mundo se preocupa em qualquer momento da vida. Quando é dieta, só no desespero da perda de peso, por exemplo, quando vai a um casamento, a uma praia, ou coisa assim. Mas as pessoas estão se tornando cada vez mais conscientes de que qualquer momento é hora de se reeducar. Tem alguns idosos que, antigamente, falavam assim: agora estou para morrer e não vou mais ter tempo. Sim, mas tem alguns idosos que me procuram porque têm esta consciência de que reeducação é em qualquer momento. Eu atendo diversas idades e todas as idades hoje em dia estão preocupadas, o que é muito bom.

Geralmente, quando se fala em dieta, a pessoa já fica com um pé atrás? Por que?

Voltamos aqui, à dieta da moda, né? O processo saudável é a reeducação alimentar personalizada. Porque dieta ninguém aguenta seguir por muito tempo. Além de não ser personalizadas, são loucuras dentro daquela proposta, que é impossível mantê-la no dia a dia.

Qual a regra para criar um plano de alimentação equilibrada? O que deve ser observado?

Não existe regra, existe o organismo da pessoa. Então, é uma avaliação de uma hora e meia, em uma consulta no mínimo, em que você vai avaliar toda a história clínica da pessoa, desde o nascimento, e, a partir disso, você vai organizar o que ela precisa de proteína, de carboidrato, de gordura, no momento da vida, da saúde em que se encontra.

Existe uma dieta milagrosa?

Sim, existe, a reeducação alimentar. Ela é milagrosa, é duradora, é você personalizar, de acordo com o seu momento, você vai se adaptando de acordo com o seu envelhecimento, no que vai ocorrendo ao longo da sua vida. É isto o que dá certo.

Como fazer dieta sem entrar em pânico, ou em arrependimentos?

Novamente, com a reeducação alimentar

Quais as características/qualidades que uma pessoa deve ter para fazer dieta com sucesso?

Ter o querer. Querer ser saudável. Ter um objetivo de vida, que não é o casamento, não é uma praia, não é nada. É querer ter saúde, é querer pensar na autonomia de vida porque envelhecer todo mundo vai, só que há diferença entre o envelhecimento bom e o mal sucedido. Se a pessoa vive em médico, tomando remédio, ela envelhece sem autonomia, não mandando em si própria e não sendo feliz, sem energia e sem vitalidade. Então, é o querer da pessoa que manda.

Dieta para emagrecer, dieta para abaixar o colesterol, dieta contra o triglicérides, a glicemia, ou uma dieta basta para manter uma saúde equilibrada?

Novamente, não é uma dieta, é uma reeducação personalizada. Não existe uma dieta para qualquer coisa. Tem que ver: é o colesterol que está elevado, é uma pessoa que está acima do peso, ou é uma pessoa magra? Então, são dietas completamente diferentes, mesmo que seja para colesterol. Então, novamente, personalizada.

Há uma regra sobre quantos quilos a pessoa obesa deve perder por semana ou por mês, no caso de uma dieta para emagrecer?

Não, porque conta também o que ela está fazendo de atividade física. Se tiver fazendo musculação, vai ganhar peso. Então o que manda é o percentual de gordura e não balança. Assim, a gente tem sempre que avaliar porque há pessoas falsas magras e você vai ver, estão pelancudas, sem músculos e com muita gordura. Então, o que manda é o percentual de gordura, mas cada um no seu momento. Cada um no que dá conta de evoluir, mas sempre buscando evoluir.

Quais os alimentos que não pode faltar em uma mesa, quando pensamos em saúde?

Na verdade, o que deveríamos tirar é o excesso de quitandas, misturas de ingredientes industrializados, ultra processados, como bolos, biscoitos, salgadinhos, pão de queijo, docinhos, bebidas alcóolicas, excesso de sal, excesso de açúcar; o resto – tudo se pode comer, como falei, arroz, carne, feijão, frutas, leite e derivados, isso tudo pode entrar.

O que devemos evitar? Por quê?

Isso que falei acima, porque eles são inflamatórios e modificam o metabolismo, ou sejam, inflamam organismo, gerando doenças, aumentam risco de câncer, geram problemas intestinais, geram distúrbio emocional. Então, todo excesso de processados e ultra processados, esses industrializados, fazem muito mal.

Com a pandemia da covid, dezenas, centenas, milhares de pessoas ganharam peso. Como perde-los rapidamente? Isto é possível, perder peso rápido?

A gente não pode perder peso rápido porque perde músculo. A gente tem como perder peso de forma saudável e bastante, depende da disciplina da pessoa. Mas o importante é se preocupar fazer uma reeducação alimentar para que a perda de peso seja em gordura e não em músculo. Por que não adianta a pessoa perder 10kg de músculo. Ela fica fraca, mal-humorada, e não adianta nada.

Pacientes pós covid necessitam de uma alimentação melhor? Por que?

Com certeza, tem que recuperar o corpo. A partir do momento que você entra em contato com um vírus, com uma bactéria, você demanda nutrientes para que aquele corpo estranho seja eliminado. Então, tem que repor vitaminas, minerais, repor aminoácidos – porque o músculo é perdido também, em uma doença grave, aumentar a imunidade do sistema novamente, repor lactobacilos, repor a flora intestinal e, aí ver o que ficou de uma sequela e trabalhar em cima disso. Tem gente que tem tido muita fraqueza nas pernas, dor de cabeça … então temos que trabalhar em cima do que ficou de sinais e sintomas. Como cada um é um ser individual, o Covid também teve em cada um, um reflexo.

Quais as sequelas da covid deixadas nos pacientes que sobreviveram ao vírus, no tocante à deglutição, digestão (o refluxo é uma das sequelas?), absorção de alimentos, enfim, quais as sequelas deixadas pelo vírus no sistema digestivo e intestinal?

São várias, lembrando que cada um é cada um. Como já citei acima, dores de cabeça, intestinais, dores musculares, nas articulações, perda do paladar, do olfato, distúrbios psicológicos, de alteração de enzimas, de gordura no fígado. Então, cada um tem tido um tipo de sequela e, a partir dessa sequela acontece o tratamento.

De que forma o nutricionista vem atuando nesses casos, visando uma melhora na qualidade de vida dessas pessoas?

Tudo que falei acima, uma suplementação adequada, de acordo com a sequela. E para colocar tudo no lugar, a casa no lugar, uma alimentação rica em nutrientes, vitaminas e minerais, organizando todas as fibras, carboidratos, gordura boa, vitaminas que vêm de saladas e frutas, para que o organismo se nutra novamente para se recompor

O que mudou no mercado de trabalho para o nutricionista durante a pandemia?

Antes a gente não podia atender on-line, era exclusivamente presencial. Com a pandemia, o nosso Conselho liberou o atendimento on-line. Com isso, eu atendo hoje pacientes do Estado inteiro e do mundo. Tenho vários pacientes internacionais. Outro fato importante foi que muita gente parou de se preocupar apenas com a estética. Muita gente viu, com essa pandemia, como ter uma boa saúde é significativo para a sobrevivência. Tanto que as pessoas obesas, que são mais desnutridas e inflamadas (o obeso é desnutrido porque não tem vitaminas e minerais circulando bem no organismo pelo excesso de gordura inflamada pelo corpo), viram que a obesidade é um fator de risco na pandemia. Dessa forma, cuidar da saúde é o nosso melhor remédio

Qual a diferença entre nutricionista e nutrólogo?

Nutrólogo é médico, portanto pode receitar suplementações, vitaminas e minerais, respondendo, assim, pela vida do paciente, porque essas suplementações, vitaminas e minerais podem ser tóxicas ao organismo, se forem em altas doses. Ao contrário da nutricionista, ele não faz reeducação alimentar. Eu, geralmente, faço parcerias com nutrólogos, quando necessário, que me permitem mexer na dieta prescrita, para uma reeducação alimentar, com uma suplementação mais leve, e ele controla, muitas vezes, o medicamento da pessoa. Quando há essa parceria é muito bacana porque o nutrólogo pode prescrever medicamentos que eu não posso passar. Assim, fica uma parceria boa. Mas o planejamento de dietas só o nutricionista sabe fazer. Nenhum médico sabe. A maioria deles faz a dieta padrão.

Qual a mensagem que a senhora poderia deixar para aqueles que desejam fazer dieta mais têm receio?

Que procurem um bom profissional que trabalha em reeducação alimentar e que ensine a comer de verdade, sem firulas, sem precisar ir a lojas de produtos naturais gastar rios de dinheiro. Que ele faça uma suplementação alimentar para deixar seu corpo em ordem, que não seja nada cara, ou que seja só para organizar o seu metabolismo. Que ele passe uma reeducação que não precisa cortar nada que for necessário. Caso a pessoa tenha alguma intolerância, ok. Mas se não tiver, que não pratique dieta da moda nos pacientes. Que seja uma organização da alimentação, colocando alimento certo, na quantidade certa, na hora certa.

Contato com a nutricionista Caroline Lameirinhas: 31- 9.9764-3690 – rua Bernardo Mascarenhas, 338, Cidade Jardim, Belo Horizonte/MG

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo