Em FocoÚltimas Matérias

Câncer de Mama: diagnóstico precoce aumenta as chances de cura

A mamografia é o melhor exame de rastreamento precoce para detecção da doença

           Buscar o diagnóstico precoce do câncer de mama ajuda a multiplicar a sobrevida. Os pacientes que identificam a doença em fase inicial podem fazer um tratamento mais conservador e também se beneficiam com melhor resultado estético. A mamografia é o melhor exame de rotina para detecção precoce da doença e, hoje em dia, já existem equipamentos, como a Mamografia Digital, que é mais confortável para as mulheres e mais precisa na identificação de microcalcificações e lesões antes delas se tornarem clinicamente palpáveis.

            Com a pandemia, além da postergação dos exames de rotina, outro fator de risco bate à porta de muitas mulheres. Em 2020, pesquisa da Vigitel mostrou que os brasileiros atingiram o maior índice de obesidade dos últimos 13 anos. E o resultado é ainda pior para o público feminino, que apresentou crescimento de 40% nos índices de obesidade no período. Ela é um fator importante para o desenvolvimento de alguns tipos de cânceres, notadamente o de mama. O aumento do Índice de Massa Muscular (IMC) pode multiplicar os riscos da doença. O câncer de mama, que atinge mais de 50 mil novos casos por ano no Brasil, é o segundo tipo mais frequente no mundo.

            De acordo com a médica Rosângela Maria Trovo Hidalgo, especialista em Ginecologia e Obstetrícia e em Radiologia, com subespecialidade em Radiologia Mamária da CEDIP – Clínica de Exames de Diagnósticos por Imagem, localizada em Curitiba/PR, quanto maior o número de células de gordura no corpo, maior será o volume de estrogênio, hormônio que serve de ‘alimento’ para as células cancerígenas. No tecido adiposo, explica, “existe uma enzima chamada aromatase. Ela faz aumentar o nível de estrogênio no corpo, o que é um fator de risco para o câncer de mama. Quanto mais tecido adiposo, mais hormônio”. Outros fatores a serem observados são a idade – como mulheres acima dos 50 anos -, e histórico familiar e reposição hormonal com estrogênio e progesterona por longos períodos nas mulheres menopausadas.

No caso de histórico da doença de 1º grau (pai, mãe, irmão ou irmã), é importante a avaliação com um médico especialista para saber quando os exames de prevenção devem ser iniciados, orienta a Dra. Rosângela Maria Hidalgo. Como prevenção, ela cita a necessidade de atividades físicas regulares, alimentação equilibrada, avaliações com um especialista e realizar a mamografia anualmente após os 40 anos como prevenção e diagnóstico precoce da doença.

Rastreamento Digital – A Mamografia Digital é o exame radiológico das mamas. É considerado o melhor procedimento para detectar câncer e lesões pré-cancerosas, antes mesmo do médico e do paciente conseguirem palpá-las. É indicado como exame de rotina para o rastreamento do câncer de mama. É de alta sensibilidade e pode ser chamado também de mastografia ou senografia. O exame é rápido, com pouca radiação e sem desconforto para o paciente. O procedimento completo normalmente leva 15 minutos e as radiografias são interpretadas pelo radiologista.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo