Hospitais do BrasilÚltimas Matérias

Hospital Márcio Cunha realiza cirurgia inédita no interior de Minas: a técnica revolucionária quebra paradigma no tratamento de lesões no ombro

Dr. Evander Azevedo Grossi: “a grande mudança que alcançamos com a nova técnica é sua eficácia minimamente invasiva que não viola os tecidos, reduzindo o risco de infecção”

A equipe de Ortopedia do Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga-Minas Gerais, realizou pela primeira vez uma cirurgia de reparo de lesão do manguito (principal musculatura do ombro), via artroscopia, operação por vídeo. Inspirada na técnica de recuperação de lesões irreparáveis, criada pelo médico japonês, Teruisha Mihata, a intervenção consiste na inserção de um enxerto do tecido muscular da coxa (fáscia lata) na região do ombro, usando apenas o artroscópio, um tipo de endoscópio que é inserido dentro da articulação através de uma pequena incisão. Em Minas Gerais a cirurgia só havia sido realizada em Belo Horizonte. 

O médico ortopedista da Fundação São Francisco Xavier, administradora do Hospital Márcio Cunha, Evander Azevedo Grossi, coordenou a cirurgia. Ele explica que a metodologia é revolucionária por ser uma quebra de paradigma no tratamento desse tipo de lesão. De acordo com o especialista, o ombro, ao contrário de outras articulações do corpo, tem apenas um tendão principal de sustentação, conhecido como manguito. Como não é possível remover tendões supra espinhal e infra espinhal, a indicação do tratamento para lesões irreversíveis do ombro é cirurgia para a colocação de próteses ou implante muscular, método invasivo que exige a abertura do paciente. “A grande mudança que alcançamos com a nova técnica é sua eficácia minimamente invasiva que não viola os tecidos, reduzindo o risco de infecção”, destaca.

Realizado no último dia 12 de novembro, o método inovador foi acompanhado por todos os médicos ortopedistas do Hospital Márcio Cunha, com especialidade em cirurgia do ombro, e durou cerca de 2 horas. O paciente, de 54 anos, recebeu alta em 24h, e, agora, usará uma tipoia durante 30 dias. “Foi um trabalho realizado a oito mãos, todos deram a sua contribuição para esse procedimento que revolucionou o cenário da cirurgia de ombro no Vale do Aço. Além do sucesso na intervenção, o pós-cirúrgico tem apresentado excelentes resultados, com menos riscos de complicações, sendo mais simples e seguro”, ressalta Dr. Evander.    

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo